www.bsgi.com.br

quarta-feira, 22 de junho de 2011

O que importa é o coração

Seleção de trechos de discursos do presidente Ikeda

'O que importa é o coração' (WND, p. 1000), escreveu Nitiren Daishonin. O que importa é a disposição ou a determinação que aplicamos aos desafios que surgem diante de nós. Em última análise, tudo se resume na rigorosa questão de realmente termos fé ou não". (Brasil Seikyo, edição nº 1.878, de fevereiro de 2007, p. A3).

Nitiren Daishonin escreveu: 'O tesouro do corpo é mais valioso do que aquele guardado no cofre; e o tesouro acumulado no coração é muito mais valioso do que o tesouro do corpo'(END, v. I, p. 297). Aqueles que possuem esse tipo genuíno de riqueza espiritual, as que venceram na vida através da fé, desfrutarão a felicidade e a vitória por toda a eternidade. Como resultado, sua vida será naturalmente adornada com os tesouros do cofre e do corpo - pelas três existências (Brasil Seikyo, edição nº 1.251, de novembro  de 1993, p. 3).


Nosso coração ou nossa mente, intenção ou atitude são cruciais (ibidem, edição nº 1.791, de abril  de 2005, p. A3).


O Coração é a essência e também a base; é a fé - em outras palavras, um coração que crê. Nosso coração ou nossa mente, manifesta-se em nossa ações. Um buda nunca é interesseiro e nem desonesto. A condição de vida do estado de Buda manifesta-se nas ações de atenção e benevolência para com as outras pessoas, tais como ajudar os vizinhos, incentivar os amigos que estão sofrendo e compartilhar a grandiosidade da lei Mística com os outros.




De um certo ponto de vista, não existe nada tão vulnerável e fraco como um ser humano e, talvez nada tão potencialmente vil ou cruel. No entanto, uma pessoa torna-se infinitamente forte ou nobre quando cultiva seu coração. O sentimento e a mente não possuem cor, forma nem extensão; mas, em condições propícias, poderão se expandir ilimitadamente. Apesar de parecer estável, nosso atual estado de vida é, na verdade, um fenômeno passageiro, uma expressão da verdade da existência temporária. Isso significa que nossa vida está em constante mudança, jamais parando por um único momento.

Digo uma vez mais que não são a fama, o dinheiro nem a posição que importam, mas sim o coração. Nitiren nos ensina que a fé é o tesouro mais precioso que possuímos. Observamos aqui o caminho supremo da vida par o ser humano.



O poder da palavra deriva do coração humano. A mente e o coração são o que se encontra na essência das palavras e o que lhes dá vida. Nitiren observa: 'As palavras se manisfestam através dos sons para transmitirem os sentimentos que se encontram em nosso coração' (Gosho Zenshu, p. 563). As mesmas palavras também podem ter muitos graus de poder dependendo da profundidade do coração daqueles que as proferem.

Mesmo que uma pessoa enfrente diversas perseguições e opressões, ela jamais será derrotada desde que mantenha um coração firme e inabalável. Contudo, esse coração pode ser destruído pelo mau amigo (aquele que faz gerar dúvida e impede o caminho para a iluminação).  Tendo o coração destruído, o pulsar da Lei Mística é interrompido.

Tudo nasce da mente, do nosso sentimento, inclusive a esperança e a felicidade. Todas as alegrias e as tristezas também surgem do nosso âmago. O nosso coração é a fonte de tudo e sua força é imensurável. Todas pessoas possuem esse poderoso coração.

Dependendo de nossa determinação, de como estão nossa mente e nosso coração, temos de conseguir triunfar na vida da forma como queremos. Devemos conseguir nos tornar felizes. Isso foi confirmado pela história.

A felicidade não encontra em algum local distante de nossa realidade diária. E o dinheiro ou a fama também não garantem a felicidade. De fato, eles podem ser, em muitos casos, a origem dos problemas e da infelicidade. O que importa é o coração. (...) As pessoas que mantêm em seu coração a fé no ensino correto do Budismo são as mais felizes de todas. Essas pessoas conseguirão atingir a eterna felicidade.



Nenhum comentário:

Postar um comentário